Legislativo vai acompanhar desdobramentos do assassinato do vereador Silvânio Barbosa

Luciano Milano

quinta, 29 de novembro de 2018 às 20h45

Dicom/CMM

Decisão foi tomada após entrevista de réu confesso a emissora de televisão e contundente pronunciamento de vereadora, para quem o crime foi premeditado

A Câmara Municipal de Maceió vai criar uma comissão para acompanhar de perto os desdobramentos do assassinato do vereador Silvânio Barbosa (MDB), cometido pelo réu confesso Henrique Matheus da Silva, 18, no apartamento da vítima, em setembro deste ano. A decisão saiu na sessão ordinária desta quinta-feira (29), após entrevista dada por Henrique ao repórter Wadson Correia, da TV Ponta Verde, e contundente pronunciamento da vice-presidência da Casa, vereadora Silvania Barbosa (PRTB). Henrique Matheus espera pelo julgamento no presídio do Agreste.

Da Tribuna do Plenário, na Associação Comercial, em Jaraguá, onde os trabalhos legislativos ocorrem temporariamente, a parlamentar classificou o assassino de cruel e frio, e ainda disse que o crime foi premeditado e teve o caráter homofóbico. Além disso, a vereadora revelou que a entrevista foi uma tentativa clara do réu e de sua defesa de transformarem a vítima, Silvânio Barbosa, em culpado. À fala de Silvania Barbosa, seguiram pronunciamentos de Luciano Marinho (Podemos), do presidente da Câmara, Kelmann Vieira (PSDB), José Márcio Filho (PSDB), Lobão (PR), Tereza Nelma (PSDB) e Samyr Malta (DEM).

Ainda estou estarrecida com a frieza com que aquele assassino narrou os fatos do dia do crime. Ele chegou a dizer que matou o meu amigo Silvânio Barbosa porque ele queria fazer sexo e o criminoso não quis, tentando arrumar um álibi ou algo do tipo para afirmar que agiu em legítima defesa, e não há que se falar nisso porque Silvânio foi atingido até na sola dos pés, tamanho ódio que com ele foi morto. É um crime homofóbico e premeditado. Mas o advogado daquele monstro tenta criar fato, como ele ser réu primário, ter residência fixa e outros detalhes para que ele não vá a júri popular. Dessa forma, uso a Tribuna desta Casa para pedir aos meus colegas que criemos uma comissão para acompanhar de perto e cobrar as autoridades para que a justiça seja feita. Silvânio era meu amigo e nunca vou me esquecer dele”, declarou Silvania Barbosa, bastante emocionada.

Kelmann Vieira endossou as palavras da vice-presidente da Casa e afirmou que se manteve em silêncio público sobre o caso por conta do período eleitoral.

Estive calado sobre o assunto porque todos sabem a situação político-eleitoral que todos estavam envolvidos e optei por não me pronunciar para que não fosse interpretado como alguma tentativa de usar o assassinato bárbaro e que ainda nos causa tristeza na eleição. Passado aquele período, aproveito a fala da Silvania Barbosa para dizer que a Câmara vai acompanhar todos os passos desse processo para que o assassino de Silvânio pague na forma da lei por tudo que fez”, disse o presidente da Câmara.

Ordem do dia – Na ordem do dia desta quinta-feira, os vereadores voltaram a deliberar e votar projetos de lei, requerimentos e indicações para melhorias da qualidade de vida do maceioense. Entre eles, Projeto de Lei de Tereza Nelma que dispõe sobre as sanções administrativas em face da pessoa física ou jurídica que se envolva em irregularidades na venda de gêneros alimentícios destinados à merenda escolar em Maceió. Requerimento de Maria Aparecida (DEM) reitera o pedido de melhorias na localidade do Conjunto Freitas Neto, no Benedito Bentes II. Indicação de Luciano Marinho (Podemos) pede ao Executivo a instalação de praça de alimentação na área em frente ao terminal de ônibus do Conjunto Graciliano Ramos, no Cidade Universitária.

Mais Imagens:

Últimas Notícias